sábado, 6 de março de 2010

Elas & Aquelas (O Mundo é Delas)

Em Arco-Íris Reloaded (de Ana Lúcia Martins)

Mulheres aos milhares
Não me fariam ter
O prazer qu'eu sinto
Ao lado de você

E "você" são todas elas
De coração belo, jovem
Tão diferente daquelas
Cujos prantos mal comovem

Pois seria injustiça
Igualá-las todas
Sem qualquer premissa
Chamá-las de tolas

Algumas o são
E nós, por que não
Aqui não há fé
Nem superstição

Separá-las por cores
Seu bobo, não dá
Pardas e negras
Carmim, resedá

O cor é qu'escolhe
O quando de amar.

==

Como realçou o caro Wlamir, o Dia Internacional da Mulher está chegando... e por que não homenagear a que se encontra teimosamente ao nosso lado, que tudo (ou quase tudo) suportou? Ela merece. Disso não há sombra de dúvida. A você, mulher mundial. A você, fenômeno fe-no-me-nal.

4 comentários:

Wlamir (WROD) disse...

Sensacional Fernando !!!
Seria uma homenagem antecipada ao "Dia Internacional da Mulher" ???
Se for, você está no "timing" companheiro...
Abraços...

Fernando J. Pimenta disse...

Pode ser visto também como uma homenagem a todas elas, creio. Hehe... estou no timing, mas somente por acaso.

Obrigado, Wlamir!

Nina disse...

Lindo *-*
Quem dera todos dessem tal valor às mulheres.

Fernando J. Pimenta disse...

Nina, os poetas são seres muito solitários. Mesmo a melhor companhia não faz jus aos inefáveis momentos poéticos, de si para consigo mesmo. É um êxtase mental, intelectual, emocional. É um estado além do cotidiano.

As mulheres fazem o mundo belo. Claro que temos exceções, não por quesito de feiura física, mas por questão de feiura d'alma. Mas essa exceção cabe aos homens também, alguns sendo os verdadeiros monstros que são.

No todo, eu tenho amigas lindas e maravilhosas - elas mais que merecem essa minha pequena homenagem.

Porque a beleza à qual me refiro é a beleza que irradia de dentro. De dentro pra fora, onde quer que o cor more.