sexta-feira, 22 de janeiro de 2010

Tuberculose


Cuidado, homem
O verme te carcome
Pouco a pouco
Rói e come
Num rastro louco
A doer de fome

Devora a alma, a calma
E o que mais há de melhor
Leva a luz embora
E a paz ao teu redor
Tal ferida só piora
Tua face perde a cor

O teu rosto tornado
Cinzento
Descobre logo
No momento
Ter perdido
O acalento
De viver livre
De dor

O coração não pulsa
Veloz expulsa
Em tosse e sangue
O ido amor

Quem dera assim não fosse...
O nosso último estertor.

5 comentários:

André disse...

Cara, você é treta.
hahaha manda muito.
Aliás, como descobriu meu blog?

André disse...

Malandro!
Me sinto honrado com esses elogios, porque diante das suas poesias, sei o peso que eles têm.

Rimar é uma delícia, mas às vezes sinto que rimas em inglês ficam mais suaves que em português. Mesmo assim, vou treinando pra que as minhas fiquem leves e nada forçadas, como você mesmo disse.

Quanto aos clássicos, admito que li poucos. O que me pega mesmo é literatura contemporânea. Autores mais modernos, como Mário Quintana, Paulo Leminski, Clarice Lispector, Martha Medeiros, Rita Apoena, Millôr Fernandes. Obviamente que aprecio Fernando Pessoa e seus heterônimos, Pablo Neruda e por aí vai.
Admito que a poesia me fisga mais que a prosa, mas posso citar Marcelino Freire como um de meus favoritos (vide o livro "Rasif - Mar Que Arrebenta" e um conto dele chamado "Falta", parte integrante do livro chamado "Dicionário Amoroso da Língua Portuguesa".

Enfim, legal que você goste do que faço e vice-versa. hahaha.

Que a arte tome conta de nós infinitamente.

Ps: você é de São Paulo?
Ps 2: admito que ao ler suas poesias, apelo pro dicionário em alguns casos. hahahah, mas tá valendo.

André disse...

Com toda a certeza. Acreditar no que se faz é o primeiro passo para, efetivamente, fazer.

Porra, eu tô no terceiro ano de publicidade e trampo numa agência há quase 2 anos.
Sou redator.
Acho que não poderia ter escolhido profissão melhor.

Ps: haha seu curso explica sua eloquência ao escrever, assim como suas referências e influências.

Até os posts seguintes, então.

Waldez disse...

olá companheiro, obrigado por suas visitas em meu blog, abraços!

Fernando J. Pimenta disse...

Eu que agradeço!