quinta-feira, 7 de janeiro de 2010

Dor e Amor nas mãos do Escritor


"O escritor não precisa se expor"
É mentira.
O escritor revela seu Amor
E junto sua ira.

A dor vira ardor
Desilusão, Amor
E nasce o cantor
Mesmo sem voz...

Como todos nós
O escritor vem ao mundo
Da barriga materna
Empunhando o gládio
Da luta eterna

Uns tantos, infelizes
Vendem sua Arte
Sem nela acreditar
Seduzem com palavras
Sem sequer saber amar

Os felizes em sua obra
Têm vida de sobra
O tempo esvaído
A alma recobra

Expor ao mundo
Seu amor
Eis a flor oferecida

Em tempos de dor
A mais nobre colheita
Da vida.

4 comentários:

SIENITO disse...

E esse talento pra fazer rimas?
O poeta é um acidente da literatura, ele nunca sabe o que queria dizer e sem querer diz tudo!
Viva a poesia, e viva seus textos um melhor que o outro!

Fernando Pimenta disse...

Obrigado, eu fico feliz! Um abraço \O/

Nina disse...

Os escritores têm um talento e um carma, na minha opinião.
E a arte de escrever supera tudo, faz do amor e da dor mais do que meras palavras ou sentimentos, faz deles matéria-prima.
lindo texto *-*

Fernando J. Pimenta disse...

Obrigado! Esse carma dos escritores é algo sobre o qual já pensei também... e eu também tenho toda a esperança do mundo de que a arte sempre me supere, e consigo carregue minhas tormentas. Valeu, sempre!