segunda-feira, 18 de agosto de 2008

Ser Tão

Sombrio, hum. Vitória o chamava de sombrio. E o que ela lá quer com isso? As costelas à mostra de Baleia assaltando seu já seco sono e aumentando as interjeições guturais emitidas no lugar de palavras. A espingarda de pederneira, dependurada em um canto qualquer, excomungada. Fora mesmo caçar com terçador. O terçador: o terço da esperança, somado à dor - da fome, da seca, da sede, do sertão.

Do ser, tão seco, tão...desalmado.

5 comentários:

camila disse...

Ahá, conheço isso de algum lugar!
Sua analogia sobre o "Ser Tão" ficou maravilhosa!

Fernando Pimenta disse...

Obrigado! É engraçado que escrevi esse texto em um momento em que literalmente me ferrava em Matemática, não conseguia estudar, não entendia tudo que estudava... surgiam dúvidas, que se transformavam em questões existenciais...

Mas cá estou eu. Com dificuldades ainda mais prementes...

=D A vida só tem graça quando nos desafia a sermos mais do que sobreviventes: desafia-nos a tornarmo-nos humanos, dotados de uma tremenda potencialidade...

Quanto mais sofrida é a vida, mais genial se tornam os nossos escritos...

Por incrível que pareça, cada "teste" fortalece-nos, OU, destrói-nos, pouco a pouco.

...

camila disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
camila disse...

http://saudadesdepipoca.blogspot.com/2008_04_01_archive.html


Isso foi proposital,FÊ?

Fernando Pimenta disse...

Como expus em um post no orkut, não foi proposital (no sentido d'eu ter consultado seu post previamente para dar um título semelhante.)

Eu havia lido e comentado no dia 29/04 no seu blog, e só fui escrever o meu em 18/08.... Incrivelmente minha mente deve ter absorvido e explorado a criatividade de que você se dispôs para dividir em duas a palavra Sertão: Ser Tão.

Com certeza, a sua idéia original alimentou minha criatividade subconsciente, e te agradeço pelo seu insight!