domingo, 30 de novembro de 2008

Sobre Palestinos - Sobre a Realidade

http://www.redress.cc/palestine/pjballes20081130 --> um dos melhores artigos escritos sobre o genocídio dos palestinos. Ao mesmo tempo sucinto e complexo em suas implicações.

Sobre a Palestina.

Li em 2005 um apanhado de contos pelo escritor palestino Ghassan Kanafani.

"No dia 8 de julho de 1972, Ghassan Kanafani entra em seu carro com a sobrinha numa rua de Beirute, faz o contato com a chave e o veículo explode. Morre o grande combatente palestino (ele combatia com palavras, fique claro) e um dos maiores nomes da literatura árabe. Quarenta mil pessoas compareceram ao enterro. Consciente de que era necessário preservar a identidade e a cultura do povo palestino, Kanafani combateu com armas e palavras. Nos Contos da Palestina narra o sofrimento de seu povo quando da ocupação israelense. Raramente ele se deixou levar pela violência que subjugava os palestinos, preferindo envolver os leitores com o cotidiano das mais simples relações humanas e com a constante necessidade de sobrevivência de uma gente que, segundo ele, vive "do vento e da esperança".

É o que diz a contracapa da edição de 1986 da editora Brasiliense dos Contos da Palestina. Sem esse escritor, é possível que eu não enxergasse o genocídio diário desse povo sem terra, e me encontrasse em uma situação semelhante à da maioria das pessoas do mundo que tem acesso diário à mídia televisiva e escrita.

Ninguém quer ver o sofrimento alheio. Mas um dia ele pode chegar a nós.

É por isso que ler Ghassan Kanafani é um compromisso com a realidade.

3 comentários:

Jefferson disse...

E eu que havia me esquecido desse livro, do Kanafani, da Signs...

Back to work!

Fernando Pimenta disse...

Back. At least.

Renato disse...

unfortunately that doesn't mean any of them are inoffensive! they're harmful - due to the current circumstances, I know. and of course that doesn't dignify the slaughter. even though... still not inoffensive... any of'em!

...
levei o texto pra sala de aula! o aluno nao aguentava mais falar da entediante crise financeira, os Citigroups e Fords e blá, blá, blá... curiosa (embora previsível) a alusão a esse tema no início do texto.

por fim, cabe pedir que me chame de hipócrita na tréplica!