sexta-feira, 26 de fevereiro de 2010

Ícaro Amou

Eu estou amando
Valioso amigo
Vivo e vou cantando
Um soneto antigo

Sobr'a dor do amor
De amar alguém
E assim me pôr
No áureo além

A tristeza que acompanha
Essa estranha sanha humana
Um amor que a tudo irmana
A gana de viver redescoberta

É esta a minha oferta
E mais fiel procura
O amor que em erro acerta
E na dor vivida cura

O ressaibo de aventura
Tingindo rubro os lábios
A eterna fé perdura
Na mente dos mais sábios

O voo do candor
Ao longo horizonte
Ícaro e suas asas
De cera rebeladas

4 comentários:

Bruno disse...

♫ O céu de Ícaro tem mais poesia que o de Galileu...

Fernando J. Pimenta disse...

Muito bem recordado!

lorezaharra disse...

precioso cuadro

Fernando J. Pimenta disse...

Precioso deveras! Espero que o poema tenha feito jus.