quinta-feira, 4 de fevereiro de 2010

Canto ao Campo

Foto: Elisabeth Freeman

Meio a meio
Sem receio
Quero mais é
Dividir

O meu campo
De centeio
Com você
E quem mais vir

Amplo, ensolarado
O meu campo
Abençoado

Pardais e bem-te-vis
Cantam sempre por aqui
Pés de manga
Na varanda
Muitos pés de caqui

A relva molhadinha
De noitinha
Eu vislumbro
Da cozinha

Gosto tanto
Desta vida
E de ti
Mi'a querida

Venha! Toque
A campainha
Este lar é meu
Esta terra é minha

Meu coração
É todo teu
Teu somente
A ti sozinha

5 comentários:

Edison Junior disse...

Gostei bastante desse. Muito bom.

Fernando J. Pimenta disse...

Obrigado, Édison! Fico feliz sempre que alguém aprecia o meu trabalho. Oras, é natural que eu fique, né? :D

Fernando Lessa disse...

Bonito texto, xará. Muito sensível.

Fernando J. Pimenta disse...

Valeu, Fernando! Um pouco de sentimento nos faz bem, especialmente quando descobrimos que podemos gostar de alguém sem "más" ou "porquês".

Arthur Attili disse...

É um poema extremamente musicável. Queria ter o dom de fazer melodias, merda. Ficou excelente, cara! Abçs.