terça-feira, 6 de abril de 2010

O Fim da Heroicidade (I)

Cinzas jamais plantam mudas
Cinzas dispersas
Cinzas silentes
Miúdas, graúdas: mudas

Perdem todas sua cor
Pelo vento a seu sabor

Cinzas cinzentas lançadas
Pó seco, crespo, tão branco
Cinzas ao vento aladas
Indissolúveis no pranto

2 comentários:

arte do marchini disse...

obrigado pela força



abraços

Marchini

Fernando J. Pimenta disse...

Eu que agradeço, caro Marchini!