sexta-feira, 2 de outubro de 2009

Sai, bichão!

Taturana não me queime -
Eu sou curioso
Por mais qu'eu teime
Em subir este pé.

Este pé de abacate,
O meu acicate,
O meu chevrolé

Já estou arranhado
Suado,
Mordido
Não queira você tomar partido

Eu sou pé
Pé de moleque
Sobe em pé-de-amora
De manga e abacate

Subir é uma luta
Minha luta é a vida
Quem vive sou eu

Prometeu...
Não cumpriu
Um deslize...
Caiu.

Dos céus ao chão
De volta à terra

...

E que guerra.

6 comentários:

Nina disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Nina disse...

E que guerra...Guerra pra lutar, pra viver, pra ser alguém...Pra levantar todo dia, quando as vezes os dias parecem iguais...Quando levantar ta tão perto de cair.

seu e-mail é simplesmente fejapimenta.gmail ou fejapimenta@gmail???eu queria falar umas coisas sobre aquele artigo sobre psicopatas que vc me passo o link... me confirma?
beejo ;*

Adon disse...

é, o ciclo segue, junto com a procissão, em forma de oito deitado, no momento numa grama cinzenta e que guerra sangrenta.

concordo com o toque q deu do alinhamento.
gostei muito tb dos pensamentos do lado, vc já leu bastante ein cara.
abraços

Fernando Pimenta disse...

As contínuas leituras têm sido meu antídoto contra a depressão.

Fernando Pimenta disse...

Meu email é: fejapimenta@gmail.com - respondo tão logo quanto possível.

Fernando J. Pimenta disse...

Obrigado, Adon!!